Poesia de Hoje

Antes de iniciar seus processos criativos em fotografia, Euvaldo Macedo Filho já era poeta, particularmente aproximado do universo das letras de música dos tropicalistas, da poesia concretista e da prosa de Guimarães Rosa. Nem sempre é fácil transcrever ou citar a poesia de Euvaldo Macedo. As palavras se desmontam e se recompõem em neologismos, percorrem a página, e até mesmo mudam de cor, quando escritas com canetas coloridas, ou quando estas fazem acréscimos no texto datilografado. Por isso, essa seção também trará transcrições ou imagens dos poemas tais como aparecem no suporte original da escrita do poeta. O poema com que iniciamos, intitulado "ex pirado", composto em 1975, foi utilizado anos depois, em 1983, pelos amigos de Euvaldo na elaboração de folheto, na passagem de um ano de sua morte.

ex pirado

ex pirado êta poeta porr êta ins pirado a dor nado de saldade dado a madrunadas ando zanz ando dando nado braçadas em silêncio na madrunada num nada agrada vim ver madrunadas môsca zu ando nú silêncio do nada ser nada estar tão vazYo jaz Yo nú commistério da madrunada requiescat in pace

Euvaldo Macedo Filho